A Assembleia de Freguesia do Castelo aprovou, na sua sessão de 24 de junho, por unanimidade, o Relatório de Atividades  e Contas de Gerência, referentes ao ano de 2019. De acordo com  a documentação apresentada, a execução orçamental da receita foi de 80,47%, enquanto que a da despesa atingiu os 76,92%, num orçamento de cerca de 650,00 euros, que foi aprovado para esse ano.

Nesta sessão, os membros da Assembleia procederam igualmente à aprovação da 1ª revisão orçamental, em ordem a acomodar o saldo transitado do anterior para o orçamento de 2020, reforçando desse modo várias das suas rubricas.

No início da reunião a presidente de Junta, Maria Manuel Gomes, explicou, de um modo geral, a atividade de maior relevância, destacando assim os investimentos da Junta de Freguesia no último ano. A autarca explicou também aos membros presentes, o trabalho desenvolvido, no que consta a atividades e iniciativas nas mais variadas áreas, ao longo do 1º período deste ano, e que infelizmente foram interrompidas, em meados do mês de março, devido ao aparecimento desta pandemia.

Após alguns minutos de intervalo, e como forma de retomar a normalidade e cumprir com o estipulado na Lei, a Assembleia de Freguesia, reuniu numa 2ª sessão, no mesmo dia.  Nesta fase, foi apreciada a atividade da Junta referente ao 2º período deste ano, com uma explicação detalhada da presidente aos presentes sobre o que foi e tem sido a atuação da Junta de Freguesia durante o estado de emergência; assim como todo o trabalho que foi desenvolvido durante o confinamento e após o regresso à “dita normalidade” do país e do concelho.

Maria Manuel realçou o conjunto de medidas adotadas e o trabalho das equipas da Junta de Freguesia, nas diversas áreas, e de como todos se reajustaram à nova situação para que a Junta de Freguesia pudesse diariamente, levar adiante os apoios e as ajudas à população, em particular aos que se encontram em situação mais vulnerável. 

A autarca referiu ainda que, ao longo destes meses, a Junta de Freguesia doou aos equipamentos Sociais, Forças de Segurança e Saúde, centenas de euros em material de proteção. Realçando que, nestes tempos sem precedentes, a comunidade da freguesia mostrou-se de uma generosidade exemplar e que sem esta ajuda, cooperação e colaboração teria sido muito mais difícil gerir a freguesia e dar resposta a tantos pedidos de auxílio.

Voltou também a esta reunião, a situação do aterro do Zambujal. Maria Manuel lembrou a importância deste tema e das contínuas queixas por parte dos moradores desta localidade, que continuam a ter de suportar os maus cheiros deste aterro ilegal que já deveria de estar encerrado por ordem judicial. A presidente referiu ainda que, por tudo isto e por se tratar de um verdadeiro atentado à saúde pública e ao ambiente, a Junta de Freguesia associou-se à população da aldeia do Zambujal e arredores e que já está a decorrer um abaixo-assinado e uma petição online com o intuito de questionar o Governo e exigir o CUMPRIMENTO IMEDIATO DAS MEDIDAS ESTABELECIDAS NA REVOGAÇÃO DA LICENÇA DO ATERRO DO ZAMBUJAL SESIMBRA.

No decorrer destas sessões foram também aprovadas, por unanimidade, três documentos, subscritos por todas as bancadas presentes:

1 - SAUDAÇÃO ao MOVIMENTO ASSOCIATIVO POPULAR;

2 - SAUDAÇÃO - DATAS COMEMORATIVAS;

3 - VOTO DE LOUVOR A TODOS OS TRABALHADORES QUE ESTIVERAM NA LINHA DA FRENTE.

Estas sessões realizaram-se à porta fechada, devido às recomendações da DGS, evitando assim a aglomeração de pessoas e o contágio da doença COVID-19. 

Pode consultar os documentos aprovados aqui.