Na defesa e representação das FREGUESIAS PORTUGUESAS, a ANAFRE deitou mãos a todas os instrumentos possíveis, próprios de uma luta civilizada e pacífica, para despertar no legislador o bom senso dos prudentes, a coerência dos inteligentes e a humana sensibilidade dos decisores.
Do outro lado, sempre a teimosa indiferença, a déspota decisão, a inflexível convicção.
Neste 3º ENCONTRO NACIONAL DE FREGUESIAS, a ANAFRE quer:
Dar voz aos Eleitos de Freguesia;
Dar-lhes conta do estado das coisas;
Recolher ideias e articular posições;
Construir um alerta conjunto para mostrar, mais uma vez, que a cegueira, o autismo, a obsessão são inimigos da paz social e do interesse nacional.
Foi escolhida, para lugar do Encontro, a cidade de Coimbra onde, a 20 de abril, os Eleitos de Freguesia, conscientes e preocupados, vão especialmente refletir sobre o teor das Leis publicadas:
Lei 22/2012, de 30 de outubro (Reorganização Administrativa Territorial Autárquica);
Lei 11-A/2013, de 28 de janeiro (Reorganização Administrativa do Território das Freguesias, vulgo Lei do Mapa);
Assim como debater as Leis publicandas:
Regime Jurídico de Atribuições e Competências;
Lei das Finanças Locais;
E, sobretudo, pensar o Ato Eleitoral Autárquico que se aproxima e que se deseja ocorra em perfeito clima de paz, tranquilidade e segurança, reconhecendo, não estarem reunidas as condições mínimas necessárias para que tal objetivo seja alcançado.
Mostrar aos Governantes, ao País e ao Universo Português que as FREGUESIAS, no respeito por si mesmas, pelas Instituições democráticas mas superlativamente, pelas populações mais desprotegidas, não estarão ao lado dos que as abandonam, nem perto dos indiferentes.
SE COMUNGA DESTES IDEAIS E QUER AFIRMÁ-LOS, PREPARE A CAMINHADA.
EM COIMBRA, A 20 DE ABRIL.
NÃO SEJA ESPECTADOR! PARTICIPE!
A CAIR, CAIREMOS JUNTOS E UNIDOS. DE PÉ!
A ANAFRE CONTA COM A PRESENÇA DE TODOS!