Histórias Vivas | Presépio de Natal

Presépio Vivo, deliciou miúdos e graúdos  na véspera de Natal

Recriar alguns dos ambientes e atividades que existiram há mais de dois mil anos e que remetem para o nascimento de Jesus e realçar os valores da amizade, da entreajuda e da solidariedade foram os principais objetivos da História Viva E se de Repente...o Presépio de Natal Ganhasse Vida?.

A recriação da verdadeira história do presépio foi promovida pela Junta de Freguesia do Castelo e juntou, no passado dia  22 de dezembro, miúdos e graúdos que não quiseram perder a oportunidade de passar uma tarde diferente em família.

Uma iniciativa muito simples mas tão interessante, pois recorrendo aos locais da nossa freguesia, como é o caso do Castelo, foi possível apresentar uma história que todos já ouvimos contar,  refere Gilda Melo, da Aldeia do Meco, que se fez acompanhar das duas filhas. Gostei muito e foi ainda mais giro ouvir esta história ao vivo, garantiu Maria Leonor.

Também a pequena Inês Faneca se mostrou encantada pelos animais e pelos pormenores desta história. Pelo caminho estavam várias senhoras, umas a vender água, outras broas e pão e até havia um pastor a dormir ao pé das ovelhas, mas verdadeiras. Foi muito giro, eu gostei mesmo muito.

Pelo caminho romano até à Porta do Sol, do Castelo de Sesimbra, os participantes foram acompanhando os protagonistas da história, José e Maria, que cansados procuravam abrigo para descansar e pernoitar. No percurso, todos se foram cruzando com diferentes figuras que, trajadas a rigor, recriaram alguns momentos da história. A aguadeira, as vendedoras, a padeira, o estalajadeiro e o pastor foram algumas das personagens que encantaram os participantes.

A história foi bem contada, as falas estavam simples e para as crianças foi fácil de acompanhar, realçou José Martelo.

A viagem terminou na Alcáçova do Castelo onde a boa nova foi revelada aos presentes pela Estrela de Belém: o menino nasceu.

Seguiu-se um momento de poesia, com textos alusivos à quadra natalícia, pela sesimbrense Maria José Ruivo. Já a animação musical ficou a cargo dos gaiteiros do Grupo de Amigos da Ramboia da Aldeia do Meco.

No final, os presentes foram convidados para um lanche com doces típicos da época, broas e bolo-rei.

As Histórias Vivas de 2018 terminam assim com esta recriação e não poderia ser de outra maneira pois estamos em dezembro e já é quase Natal. Espero que tenham gostado e que para o próximo ano se juntem a nós de novo. Obrigada a cada um pela presença e um agradecimento muito especial aos que tornaram possível esta recriação, concluiu a Maria Manuel Gomes, presidente da Junta de Freguesia do Castelo, desejando a todos Um Santo Natal com muita saúde, paz e amor.

De referir que esta iniciativa teve o apoio do Grupo de Teatro Navegador Rodrigues Soromenho, Grupo de Teatro Bota no Rego e Junta de Freguesia de Santiago.

Veja  alguns destes  momentos na Fotogaleria!